Genocídio branco

From RationalWiki
Jump to: navigation, search
This is a Portuguese translation of White genocide
We're going to link this as many times as we goddamn have to.
Até onde eu sei, praticamente a única coisa que supremacistas brancos não consideram genocídio é o verdadeiro Holocausto.
David Futrelle[1]


Frogs, clowns and swastikas
Alt-right
Icon altright.svg
Chuds
Rebuilding the Reich, one meme at a time
Buzzwords and dogwhistles

A ideia de um genocídio branco (ou um cenário de extinção branca) se refere a qualquer um de vários cenários do juízo final que descrevem Caucasianos ou algum grupo demográfico associado com pessoas brancas (tipicamente Ocidentais, Protestantes, ou Cristãos, entendidos como ancestrais brancos puros) estariam caminhando para uma crise demográfica, se tornando uma minoria em alguns ou todos os países, possivelmente seguindo uma extinção. O termo foi inventado pelo racista ex-Reagan nomeado para o Escritório de Gestão de Pessoal, Bob Whitaker.[2] Whitaker, como já esperado, também cunhou a falácia do espantalho, "Antirracista é uma palavra-chave para anti-brancos." Todo nacionalista branco acredita nisso, seja Ku Klux Klan, neo-Nazi, white power skinheads, Alt-right, movimento Identitário e outros.

Estes cenários são um tipo de framing usado para promover supremacia branca ou movimento similares como auto-defesa, descrevendo não-brancos, brancos-mestiços, não-Cristãos, e/ou não-Ocidentais (notavelmente Árabes, Hispânicos, e pessoas negras, dependendo do contexto) como os agressores em uma conflito de raças ou civilizações. Quando isso vem para povos Árabes ou Muçulmanos, reinvindicações sobre a extinção branca talvez possam ser associadas com o cenário Eurábia. Estes cenários podem fazer um paralelo com genocídios que realmente aconteceram, como o Holocausto. Um semelhante boato se concentra no percebido declínio em especifico traços genéticos associados com pessoas brancas, tal como olhos azuis ou cabelos loiros, ao invés da própria "raça branca".[3] Alguns variantes do cenário do genocídio branco são a Conspiração genocida na África do Sul na África do Sul e A Ótima Substituição na França e Europa.

Algumas estatísticas e definições de genocídio[edit]

Vamos começar com algumas estáticas da mudança populacional na Europa e nos Estados Unidos:

  1. Previsão da população Europeia por religião, sem aderência a raça. Como a maioria dos países europeus não mantém registros de censo de raça nem de religião, a identidade Muçulmana é baseada no país de origem. O numero de "Muçulmanos" quase certamente incluem não-Muçulmanos de países Muçulmanos, pois são mais propensos a emigrar para países seculares.[4]
  2. Previsão da população Muçulmana na Europa, sem aderência a raça.[5]
  3. Previsão da população dos Estados Unidos por raça, sem aderência a religião. Como pessoas de origem mista, bem como Hispânicos brancos são categorizados como não-brancos, a proporção de brancos é diminuída. A definição do censo dos EUA de pessoas "brancas" também é estranhamento amplo "ter origens em qualquer um dos povos originais da Europa, Oriente Médio ou Norte da África". [6][7]

Um erro frequente (geralmente deliberado) que as pessoas fazem ao discutir os brancos como uma minoria é considerar cada raça não-branca como uma bolha indistinguível. Este engano geralmente trai os preconceitos de quem fala. Na realidade, dado o Censo de 2010 dos Estados Unidos, brancos estão em 223.5 milhões e Afro-estadunidenses em 38.9 milhões, vai demorar muito, muito tempo até que os brancos possam potencialmente se tornar uma minoria a fins legais.[8]

Supostas táticas[edit]

Algumas reinvindicações geralmente feitas em conjunto com os cenários da extinção branca são:

  • Baixa taxa de natalidade entre comunidades brancas/Ocidentais poderiam conduzir a sua extinção, causado pelo aborto e planejamento familiar. Solicitantes podem argumentar para restringir o aborto ou métodos contraceptivos para aumentar a taxa de natalidade.
  • Imigração poderia diminuir a taxa de povos brancos/Cristãos/Ocidentais em certos países. De acordo com teorias da conspiração tal como Eurábia, Imigração em países Ocidentais podem ser uma estratégia deliberada para colonização e/ou guerra demográfica.
  • Miscigenação poderia causar um declínio na "pureza racial," levando a diminuição de pessoas brancas puras a cada geração.
  • Multiculturalismo poderia corroer a identidade branca ou Ocidental e valores considerados Ocidentais, incluindo tradições, "valores familiares" ou até democracia.
  • Violência desorganizada contra pessoas brancas, Cristãos ou certo grupo étnico (tal como o ataques contra fazendeiros sul-africanos) poderia fazer parte de um campanha de perseguição.

Real genocídio[edit]

Vamos examinar a definição de genocídio da Convenção das Nações Unidas para a Prevenção e a Punição de Crimes de Genocídio'"; nomeando, uma ou mais das seguintes:

  • (a) Matando membros do grupo;
  • (b) Causando sérios danos mentais ou corporais em membros do grupo;
  • (c) Causando de propósito no grupo condições de vida calculadas para trazer dano físico no todo ou em partes;
  • (d) Impor medidas planejadas a prevenir nascimentos dentro do grupo;
  • (e) Forçar transferência de crianças de um grupo para outro.[9]

Do contrário que alguns podem acreditar (ou falar em fóruns e seção de comentários), Há atualmente poucos lugares no mundo onde tais eventos estão estão acontecendo contra pessoas brancas ou de pele clara.[10] A mudança na demografia de uma nação ao longo do tempo devido à migração, imigração e emigração não são a mesma coisa que extermínio sistemático e deliberado de um grupo de pessoas em um tipo de moda organizada. Estas mudanças demográficas não chegam nem perto de conhecer alguma dessas definições acima.[11]

Embora tenha genocídios históricos contra pessoas classificadas como brancas por alguns hoje, eles não foram visados por serem brancos, e os condenadores eram na maioria (um tipo diferente) de branco. Por exemplo, vitimas e agressores do Holocausto nazista eram ambos em sua maioria brancos, contanto que não acredite que Judeus e os povos Eslavos são de alguma forma não-brancos.

Imigração[edit]

Trazido para você por Christian Miller do "Projeto de Evidência do Genocídio Branco":

Muitos percebem que o movimento 'fronteiras abertas' é um mal velado tentando diluir e, assim, destruir todas as nações brancas — África para os Africanos, Ásia para os Asiáticos, Países brancos para todo mundo... Pessoas brancas são difamadas e demonizadas por Marxistas culturais nas academias, desprezados por calúnia pública e privados do poder de identidade própria tudo a fim de instilar um senso destrutivo de culpa branca falsa... Esses engenheiros sociais malévolos anseiam para uma humanidade misturada em nações brancas — pessoas morenas e sociedades sem raça por padrão homogêneo. O que eles nunca mencionam — e o que resta para nacionalistas enfatizar publicamente — é esse plano para diversificar apenas se aplicam em nações brancas.[12]

"Projeto do Genocídio Branco" declara que o Genocídio Branco, em adição ao comentário de Christian Miller, é:

Legalmente perseguindo e forçando áreas Brancas a aceitar diversidade. [13]

Se você não é branco, você não pode ser Britânico![edit]

Paul Weston lider do Partido Britânico da "Liberdade" afirmou que a imigração em massa para a Inglaterra é uma forma de genocídio por demográficos [14]

Nick Griffin, ex-lider da BNP tinha argumentado que identificar pessoas não-brancas como Britânicas é "uma forma de genocídio sem sangue."[15]

Falácias[edit]

Os cenários da extinção dos brancos geralmente dependem de varias falácias logicas, para fingir uma ameaça urgente a pessoas brancas.

Definição de raça e etnia[edit]

O conceito de separar raças por si só é controversa, adicione isso a dificuldade de definir categorias raciais. Muitos conceitos de raça ocidental, como a racista e arbitraria, regra de uma gota, que vê pessoas com uma origem mista como não-brancos. Como a miscigenação ocorreu por séculos, definições como essas iriam fazer a proporção de pessoas brancas menores que definições neutras. As alegações podem ser frutos de confusão entre raça, religião ou nacionalidade para inflar a proporção de não-brancos. Alguns exemplos é a definição de grupos étnicos que são tradicionalmente muçulmanos e brancos (Albaneses, Bosnianos, Tártaros, Turcos, Levantinos e etc.) ou brancos hispânicos com não-brancos ou excluindo não-brancos de uma nacionalidade particular (exemplo: assumir que qualquer cidadão britânico não-branco não é britânico)

Enquanto algumas politicas (dos Estados Unidos, Reino Unido e etc.) guardem registros de auto identificado raça e religião no censo, outros países (como a França, Suécia, etc.) não tem esse tipo de registro, um dos motivos é a experiência da segunda guerra mundial, onde os nazistas usaram registros dos censos para facilitar o Holocausto. Portanto as estáticas de pessoas de uma definida raça ou religião em um pais possa ser uma estimativa, baseado no local de nascimento, local de nascimento dos parentes e etc. Uma pessoa cristã descendente de iraquianos pode ser contado como um mulçumano. Uma pessoa branca na Europa descendente de colonizadores brancos na África poderia ser contado como um africano, ou como um negro.

O termo "branco" pode variar de pais para pais e então pode ser uma "porcentagem", também existe a percepção de quem uma pessoa branca é. Por exemplo, uma pessoa de descendência branca e mestiça poderia ser classificada como branco na américa latina, mas provavelmente não nos estados unidos. Defensores da teoria do genocídio branco poderia considerar territórios colonizados, como os estados unidos, Canada, Austrália, Nova Zelândia ou África do sul para achar mais estudos de caso para a hipótese. Um pode achar uma queda na proporção de pessoas brancas em partes dos estados unidos ocidental, mas também um pode estar atento que brancos eram a maioria na população nessas áreas por 150 a 200 anos. A África do sul nunca teve uma população majoritariamente branca, e varias pessoas que hoje são consideradas brancas iriam ser historicamente descriminadas (e vistas como uma ameaça) por serem "Alemão", "Irlandês", Católico, Judeu ou qualquer coisa.

A definição de brancos também confunde as conclusões. Ignorar tantas pessoas brancas cujas famílias estão nos Estados Unidos há várias centenas de anos que também provavelmente contêm ancestrais e outros eufemismos por terem características notavelmente mais escuras, definir pessoas mestiças como completamente não-brancas é enganoso. Se um casal "inter-racial" tem filhos, toda a descendência é "não-branco" apesar de ser geneticamente não branca. Uma cidade com 50 casais brancos e 50 casais inter-raciais é 75% branca, mas de acordo com as estáticas a próxima geração vai ser apenas metade branca. Mesmo que casais inter-raciais tenham a metade do numero de crianças, a estatística ainda vai dizer que a próxima geração é 2/3 branca, menos que a geração passada, apesar de que os genes não-brancos tenham se misturado.

Tudo isso pressupõe que a regra de uma gota só se aplica aos brancos. Logicamente a regra de uma gota também deveria ser aplicada a outras raças e aqueles e asiáticos mistos deveriam ser tecnicamente não-asiáticos e negros mistos deveriam ser não-negros, e então iriam existir menos dessas raças.

Um imigrante pode ser amplamente definido como uma pessoa com um parente nascido no exterior (ou dois, em alguns países). Isto contaria um cidadão natural Britânico com parentes nascido na Irlanda como um imigrante, não importe quão branco e fluente em Inglês ele seja. Claro, este tipo de definição infla a razão de imigrantes. Países que tiveram emigrações em passa no passado talvez também tenham "imigrantes" que só foram deixados entrar no país por causa de suas supostas similaridades étnicas do povo nativo. Existem por exemplo mais Irlandeses fora da Republica da Irlanda que dentro dela, e durando os anos 90 a vasta maioria dos imigrantes para a Alemanha eram classificados como "Alemães étnicos".[16]

Problemas[edit]

Mesmo que a maioria dos problemas listados a baixo estejam incorretos, existem alguns problemas para se preocupar sobre um "genocídio branco"

Definição de grupos religiosos[edit]

Não existe uma medida demográfico universal do tamanho de uma religião em um pais. Países diferentes podem usar qualquer dessas variáveis:

  • Associação a uma ordem religiosa
  • Pais de origem (ver acima)
  • Identificação pelo censo
  • Identificação por pesquisas de opinião
  • Presença relatada à igreja (ou outra casa ou culto)

Nós Estados Unidos, a estatística para numero de cristões são baseados na filiação a igrejas. Entretanto, até o século 19, apenas uma minoria de americanos eram filiados a alguma igreja.[17]

Fatores demográficos[edit]

  • O efeito de tempo: como a taxa de natalidade vem crescendo (principalmente em países mais ricos), o numero de crianças por mulher, diminui, apesar do total de crianças por mulher em sua vida fértil continua constante.
  • A maioria das nações do mundo passaram por uma transição demográfica, onde o tamanho de uma família diminuiu de 4-8 filhos por mulher para cerca de apenas 2 filhos por mulher. Muitos países (maioria da asia e américa latina tem uma taxa de natalidade abaixo de 2 crianças por mulher, contudo, por causa do aumento da expectativa de vida e a alta taxa de natalidade gerações atrás, a sua população está crescendo.
  • O equivoco deles em relação a queda da porcentagem de pessoas brancas. Se nós olharmos para o censo dos Estados Unidos, podemos ver que em 2000, a porcentagem total de brancos é de 75.1% do total da população, e em 2010, 72.4% — dando a impressão que o numero de brancos cairam. Porém se olharmos para os números da população, podemos ver que entre 10 anos, o total de numero de brancos aumentaram de 211.460.626 para 223.535.265.[18]

Perspectiva[edit]

  • Por que a cor dos seus descendentes importa? Os seus descendentes negros não pareciam se importar,[19] e mesmo assim, seus descendentes, que eventualmente se tornaram "mais brancos", misturaram-se como loucos com basicamente todo mundo perto deles. Nesse ponto, "pureza racial" é um conceito totalmente sem sentido"
  • Os defensores podem afirmar que a queda de pessoas brancas se da ao genocídio (como uma conspiração, enquanto diminuindo reais genocídios, como o negacionismo de holocausto.
  • Muitos defensores de extrema direita desse conceito na Europa ocidental, também de alguma forma bizarra, se opõe a imigração de pessoas brancas da Europa oriental, como poloneses, quase tão veementemente quanto se opõem à imigração de pessoas não-brancas, mesmo isso aumentando a população branca que eles tanto se preocupam.
  • Defensores também costumam atribuir o cenário de imigração não-branca, ignorando a queda da taxa de natalidade entre brancos. William Beveridge (um defensor da eugenia falou sobre uma necessidade de "assegurar a continuação da raça britânica, a qual no seu nível atual de reprodução, não consegue continuar", e isso foi em 1942, Austerity Britain, 1945-1951 (London, Bloomsbury, 2008) p. 25</ref>[20] bem antes de uma presença substancial de não-brancos presentes no Reino Unido.
  • Mesmo que você aceite essa premissa duvidosa que o argumento inteiro se baseia, não tem jeito de impedir a situação sem banir voos internacionais e banir estudantes internacionais. Um numero substancial de imigrantes em países "brancos" estão em situação de vistos por causa de casamento, porque algumas pessoas brancas não conseguiram manter a sua "determinação para a pureza racial" e se apaixonarem com pessoas não-brancas.
  • Skin lightening occurred independently from different gene alleles in east vs. west Eurasia due to similar genetic pressure (the need for more vitamin D from reduced Sun exposure), i.e. convergent evolution.[21]
  • A falsa atribuição por proponentes da teoria da conspiração do genocídio branco motiva para outros que não compartilham de suas ideologias venenosas - tipicamente focando explicamente ou implicitamente em Judeus - é provavelmente um caso de projeção psicológica da extrema-direita motivada por outros. Eles, ou ao menos muitos de seus irmãos ideológicos, suportam os exatos mesmo tipo de ódio racial virulento e nacionalismo étnico que têm na realidade levaram à limpeza étnica, e genocídios tal como Holocausto, no passado, quando eles se espalharam na população através de fake news e outras propagandas.
  • Isto é similar à, e alimenta, outras inversões da realidade implantada pela extrema-direita, tal como reivindicações como por criticar o que eles dizem ser um comportamento racista de pessoas brancas como eu, antirracistas são os reais racistas!

Veja também[edit]

Referências[edit]

  1. http://wehuntedthemammoth.com/2015/11/17/do-these-sweatpants-make-me-look-like-im-supporting-white-genocide/
  2. Bob Whitaker, Autor do 'Mantra' Racista no Genocídio branco, morreu
  3. See the Wikipedia article on desaparecimento do gene loiro. Veja também "Extinção loira" em Snopes.com para exemplos do meme, alguns deles datam do século 19.
  4. http://www.pewforum.org/2015/04/02/religious-projections-2010-2050/
  5. http://www.pewforum.org/2011/01/27/the-future-of-the-global-muslim-population/
  6. http://www.nydailynews.com/news/national/percentage-non-hispanic-whites-hits-all-time-63-article-1.1371772
  7. https://www.census.gov/topics/population/race/about.html
  8. Se você olhar neste gráfico, ele lista que pessoas brancas são 72.4% (223,553,265) enquanto o segundo maior grupo racial são os Afro-americanos são 12.6% (38,929,319)
  9. http://www.preventgenocide.org/law/convention/text.htm
  10. http://news.nationalgeographic.com/news/2013/10/131011-albino-killings-witch-doctors-tanzania-superstition/
  11. Genocídio branco, Eurábia, e Outras Bobagens Negacionistas. Desmascarando o Negacionismo. http://debunkingdenialism.com/2014/01/11/white-genocide-eurabia-and-other-white-supremacist-nonsense/
  12. Projeto de Evidência do Genocídio Branco
  13. Projeto do Genocídio Branco
  14. Partido Britânico da Liberdade
  15. http://news.bbc.co.uk/1/hi/uk_politics/8011878.stm
  16. See the Wikipedia article on Volksdeutsche.
  17. http://www.washingtonexaminer.com/is-the-end-of-white-christian-america-a-good-thing/article/2599494?custom_click=rss
  18. "Overview of Race and Hispanic Origin: 2010" (PDF). 
  19. A lot of Southern whites are a little bit black] by Christopher Ingraham (December 22, 2014) The Washington Post.
  20. Peter Hennessy, Having It So Good: Britain in the Fifties (London: Allen Lane, 2006), p. 123.
  21. Genetic Evidence for the Convergent Evolution of Light Skin in Europeans and East Asians by Heather L. Norton et al. Mol. Biol. Evol. 24(3):710–722. 2007. doi:10.1093/molbev/msl203


If you're looking for this article in English, it can be found at White genocide.